quinta-feira, 22 de maio de 2008

História Bíblica



À bordo da Arca de Noé

Os animais da floresta estavam muito agitados! Pássaros voando, cantando e, por entre as grandes árvores, iam espalhando as novidades.
A novidade mais importante daquele dia era extraordinária: - Piu,piu,fiu,fiu, atenção animais! Um velho de longas barbas brancas chamado Noé, está construindo uma enorme arca para flutuar sobre as águas, espalhavam a todos da floresta.
- Ih! Ih! Será verdade? Perguntou o macaco.
- Ora se éééé, respondeu o carneiro. Tão certo como três mais dois são cinco!
- Seu macaco, por um acaso o senhor está achando que eu sou uma ave mentirosa? Perguntou a gaivota.
O macaco disse:
- Mas aqui na floresta onde é que poderá flutuar uma arca? Isso é lá possível? Ela nunca encontrará tanta água para mantê-la suspensa.
O rinoceronte abriu o bocão e, após dar um enorme bocejo, concordou com o macaco, mas depois se retirou: - sabe gente, eu tenho mais o que fazer, vou tomar um banhinho lá no rio, tchau!
Curupááácoo!! Todos tomaram um grande susto. Era o papagaio tagarela.
- Fiquem sabendo que Deus disse a Noé: “Farei cair uma grade e demorada chuva sobre a Terra”, gritou.
- Haverá, sim, uma imensa inundação – um dilúvio universal, completou a arara azul, amiga do papagaio.
- Isso não é possível! Rugiu o tigre. É um absurdo! Nunca se viu uma coisa dessas.
- Dizem que Noé está escolhendo um casal de cada espécie de bicho para esconder da chuva em sua arca, disse o tagarela do papagaio.
- Quem é que há de gostar de viver preso dentro de uma arca? roncou o hipopótamo. Isso é um suplício, eu não agüentaria viver assim...
Enquanto os bichos discutiam, o bicho-preguiça pedia silêncio, pois queria dormir.
- Que iríamos nós comer na arca durante os 40 dias e 40 noites que, dizem, vai durar a chuvarada? Perguntaram os jabutis. - Que iríamos comer? Muita coisa, respondeu a anta. Sabemos que Noé e seus três filhos estão guardando alimento para todos esses dias. Já armazenaram muitos grãos e sementes, frutas, mel, capim, carne e peixes frescos... enfim, comida variada e abundante para todas as espécies de animais...
Os elefantes brincavam atirando para o alto, com suas trombas, a água das poças. Mal ouviram a novidade, abandonaram a brincadeira e lá se foram trotando pesadamente em busca da arca.
- Capim macio! Trombeteavam, oh, que gostosura!
E, juntando-se à parada de animais, marcharam em direção à arca, com alegria. Afinal, chegaram os animais à arca. Que multidão!
Enquanto subiam para dentro dela, Noé, ao lado da grande porta aberta, permanecia atento, observando-os um por um.
Dava-lhes as boas-vindas e ia conferindo, por uma comprida lista, cada casal para ter a certeza de não faltar nenhum.
Era um trabalho cansativo, mas indispensável, pois todo tipo de animal, de toda espécie, um macho e uma fêmea, deveria embarcar na arca. Onde estão as cotias? Perguntou Noé. Ninguém sabia delas.
E agora, amiguinhos? O que Noé vai fazer?

Beijos









À bordo da Arca de Noé

Os animais da floresta estavam muito agitados! Pássaros voando, cantando e, por entre as grandes árvores, iam espalhando as novidades.
A novidade mais importante daquele dia era extraordinária: - Piu,piu,fiu,fiu, atenção animais! Um velho de longas barbas brancas chamado Noé, está construindo uma enorme arca para flutuar sobre as águas, espalhavam a todos da floresta.
- Ih! Ih! Será verdade? Perguntou o macaco.
- Ora se éééé, respondeu o carneiro. Tão certo como três mais dois são cinco!
- Seu macaco, por um acaso o senhor está achando que eu sou uma ave mentirosa? Perguntou a gaivota.
O macaco disse:
- Mas aqui na floresta onde é que poderá flutuar uma arca? Isso é lá possível? Ela nunca encontrará tanta água para mantê-la suspensa.
O rinoceronte abriu o bocão e, após dar um enorme bocejo, concordou com o macaco, mas depois se retirou: - sabe gente, eu tenho mais o que fazer, vou tomar um banhinho lá no rio, tchau!
Curupááácoo!! Todos tomaram um grande susto. Era o papagaio tagarela.
- Fiquem sabendo que Deus disse a Noé: “Farei cair uma grade e demorada chuva sobre a Terra”, gritou.
- Haverá, sim, uma imensa inundação – um dilúvio universal, completou a arara azul, amiga do papagaio.
- Isso não é possível! Rugiu o tigre. É um absurdo! Nunca se viu uma coisa dessas.
- Dizem que Noé está escolhendo um casal de cada espécie de bicho para esconder da chuva em sua arca, disse o tagarela do papagaio.
- Quem é que há de gostar de viver preso dentro de uma arca? roncou o hipopótamo. Isso é um suplício, eu não agüentaria viver assim...
Enquanto os bichos discutiam, o bicho-preguiça pedia silêncio, pois queria dormir.
- Que iríamos nós comer na arca durante os 40 dias e 40 noites que, dizem, vai durar a chuvarada? Perguntaram os jabutis. - Que iríamos comer? Muita coisa, respondeu a anta. Sabemos que Noé e seus três filhos estão guardando alimento para todos esses dias. Já armazenaram muitos grãos e sementes, frutas, mel, capim, carne e peixes frescos... enfim, comida variada e abundante para todas as espécies de animais...
Os elefantes brincavam atirando para o alto, com suas trombas, a água das poças. Mal ouviram a novidade, abandonaram a brincadeira e lá se foram trotando pesadamente em busca da arca.
- Capim macio! Trombeteavam, oh, que gostosura!
E, juntando-se à parada de animais, marcharam em direção à arca, com alegria. Afinal, chegaram os animais à arca. Que multidão!
Enquanto subiam para dentro dela, Noé, ao lado da grande porta aberta, permanecia atento, observando-os um por um.
Dava-lhes as boas-vindas e ia conferindo, por uma comprida lista, cada casal para ter a certeza de não faltar nenhum.
Era um trabalho cansativo, mas indispensável, pois todo tipo de animal, de toda espécie, um macho e uma fêmea, deveria embarcar na arca. Onde estão as cotias? Perguntou Noé. Ninguém sabia delas.
E agora, amiguinhos? O que Noé vai fazer?
Colaboração: Tio Walmyr Santos (texto adaptado do livro “Horas Felizes com Walt Disney”- Ed. Melhoramentos – 1968 )
Não perca a continuação da história de Noé na próxima Ovelhinha
Beijos da tia
Graça Maria




























Nenhum comentário: